Rede dos Conselhos de Medicina
Medo do coronavírus agrava doenças crônicas

O medo de ser infectado pela Covid-19 tem mantido em casa pessoas com sintomas de doenças cardiovasculares, neurológicas e até de câncer. Com isso, os quadros clínicos pioram e, consequentemente, os tratamentos tornam-se mais complexos e até mesmo inviáveis.

O alerta é do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) que vem percebendo aumento na complexidade dos casos das doenças que, nos últimos dois meses, chegam aos consultórios médicos.

O CRM-ES não conta com estudos estatísticos a respeito desse assunto, mas com a percepção dos médicos, que estão recebendo pacientes com outras doenças em estágios mais avançados. Segundo eles, esse paciente, em geral, não procurou atendimento antes por medo de ser infectado pela Covid-19.

Diante dessa constatação, o CRM-ES lançou a campanha Vá ao médico se perceber algo diferente com sua saúde. Não existe só Covid-19.

“Com medo do coronavírus, as pessoas estão ficando mais relapsas com a própria saúde, quando o assunto remete às doenças que não envolvem o quadro respiratório provocado pela Covid-19”, informa Dr. Celso Murad, presidente do CRM-ES.

Até mesmo os pacientes já em acompanhamento oncológico, cardiológico, neurológico, além de outras doenças crônicas e graves, estão evitando ir ao médico, o que é um enorme erro, reforça Murad.

O CRM-ES está realizando reuniões virtuais com representantes das especialidades médicas e constatando esse quadro preocupante. Por esse motivo, está chamando a atenção para o risco de uma “nova epidemia” de casos de infarto, de complicações oncológicas e de outras doenças, que ainda pode sofrer, inclusive, com a falta de vagas para atender a “demanda reprimida” em um futuro próximo.

Cuidados

Para tranquilizar a população, Murad informa que o CRM-ES vem orientando as clínicas, consultórios e hospitais a adotarem medidas de segurança determinadas pelo Ministério da Saúde, Anvisa, sociedades de especialidades médicas e autoridades sanitárias, para atender também a esses pacientes.

Orientações aos médicos e clínicas

Para consultas

  • Preste atendimento com intervalos de tempo superiores a 40 minutos, para evitar concentração de pacientes nas antessalas.
  • Mantenha janelas e portas abertas.
  • Retire revistas e brinquedos das antessalas.
  • Ressalte para as atendentes e secretárias que mantenham a higiene das mãos e o uso de EPIs, que deve ser fornecido pelo empregador.
  • Oriente os pacientes a manterem distância de pelo menos um metro entre si.

O médico deve usar máscara de proteção e luvas para realizar o exame físico nos pacientes e o básico que todos os profissionais da saúde devem sempre realizar: lavar as mãos frequentemente, principalmente antes e após prestar atendimento.

Para cirurgias

  • A indicação ou contraindicação cirúrgica é do cirurgião assistente.
  • É necessário avaliar o perfil epidemiológico do estado e/ou município.
  • É preciso observar as recomendações técnicas das autoridades sanitárias e do executivo local.
  • É preciso seguir as atualizações propostas pelas sociedades de especialidades filiadas à Associação Médica Brasileira (AMB).
  • Os pacientes sintomáticos, suspeitos ou portadores de Covid-19, devem ter o ato cirúrgico postergado, salvo situações de urgência ou emergência, quando deverão ser respeitados os prazos máximos de atendimento estabelecidos na Resolução CFM n° 2.077/2014.
  • É de responsabilidade do médico assistente a obtenção prévia do termo de consentimento livre e esclarecido, devendo o diretor técnico da instituição onde será realizado o procedimento garantir condições adequadas para a realização da cirurgia, assim como o uso de equipamentos de proteção individual (EPI).

O bom senso de cada profissional é sempre imprescindível.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner