Diante da deflagração da terceira fase da operação Lama Cirúrgica, divulgada na mídia hoje (6/2) pelo Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc), que apreendeu mais materiais cirúrgicos que deveriam ter sido descartados e que estavam sendo reutilizados, o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES), no uso de suas atribuições legais, conforme preconiza a Lei n.º 3.268/57 e seu Decreto n.º 44.045/58, orienta os diretores-técnicos dos hospitais e das clínicas que realizam cirurgias no Espírito Santo a adotarem a devida cautela na aquisição de material médico-hospitalar.

É, também, de fundamental importância que o fluxo de entrada e de descarte dos materiais cirúrgicos seja revisto pelas unidades hospitalares, a fim de evitar riscos aos pacientes.

Vitória, 6 de fevereiro de 2018
Carlos Magno Pretti Dalapicola
Presidente do CRM-ES

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.