Por não apresentar fundamentação científica e nem consistência de resultados, a aplicação de Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é proibida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). No entanto, há denúncias de que o procedimento esteja sendo realizado, por profissionais não médicos, em clínicas para rejuvenescimento instaladas no Espírito Santo. O presidente do CRM-ES, Celso Murad, e médicos dermatologistas alertam para os riscos desse procedimento.

Veja abaixo a matéria completa no jornal A Tribuna de hoje, 2 de abril.

atribuna

Aviso de Privacidade
Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o Portal Médico, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de cookies. Se você concorda, clique em ACEITO.