Rede dos Conselhos de Medicina
Desembargador ressalta segurança garantida a médicos e pacientes por registro de consentimento Imprimir E-mail
Sex, 03 de Dezembro de 2010 14:31
O desembargador Miguel Kfouri Neto, do Tribunal de Justiça do Paraná, participou nesta sexta-feira (3) do painel O consentimento livre e esclarecido: limites da autonomia pessoal do paciente e da exclusão de ilicitude, no I Congresso Brasileiro de Direito Médico do CFM, realizado em Brasília. Em sua fala, Kfouri destacou a necessidade de que os médicos registrem de algum modo o consentimento do paciente para dar início a procedimentos e tratamentos de saúde. “Um documento de quatro laudas, redigido com o uso de vocabulário técnico, assinado por uma pessoa com pouca instrução não serve como instrumento de consentimento – o profissional deve observar para quem se destina a informação”, disse Kfouri.

 Também participaram do painel os advogados Daniel de Andrade Novaes e Giselle  Crosara,  assessores jurídicos do CFM. O presidente e o moderador dos debates desta manhã foram, respectivamente, Ivan de Araújo Moura Fé (presidente do CRM-CE) e José Fernando Maia Vinagre (corregedor do CFM).

Nesta tarde, o Congresso terá a conferência Quando o dano faz a diferença: o dano moral, o dano estético, o dano material e sua cumulatividade, a ser proferida por Márcia Santana Fernandes, e o painel Os limites da responsabilidade médica: como os juízes fazem contas, calculam danos e antecipam tutela, do qual participarão Antônio Carlos Roselli e Francisco Tenório. O presidente e o moderador da mesa serão, respectivamente, Jorge Raimundo de Cerqueira e Silva (presidente do Cremeb) e Emmanuel Fortes (vice-presidente do CFM e presidente do Cremal).

 Clique aqui para ler uma entrevista com Miguel Kfouri Neto. As atividades do Congresso podem ser acompanhadas ao vivo pela internet.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner